Opiniao - 16/11/2021


Após o PL cancelar evento de filiação para o dia 22 de novembro, a relação da sigla com o presidente anda bastante conturbada.

Entenda: o PL apoia o governador do Piauí, Wellington Dias, do PT, partido de oposição ao presidente Bolsonaro.

Prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, do PL, está fechando aliança com a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, do PSDB, partido que deve disputar as eleições presidenciais em 2022.

Saindo do Nordeste, em São Paulo o vice-governador Rodrigo Garcia, agora no PSDB, anda alinhado com o PL, partido que pode ter o noivado rompido com Bolsonaro.

Ainda falando de Bolsonaro, pensando em 2022, ele precisa ter o controle do PL, ou que seja outro partido, para fortalecer o Senado, já que a relação do presidente com a Câmara, é bem melhor.

Edição: Antônio Sandegi